Publicidade

Praticar atividades físicas melhora a capacidade cognitiva

Sono e disposição também podem ser afectados, levando à piora no rendimento no trabalho ou estudos


ARTIGO DE ESPECIALISTA

Dr. Ricardo Munir Nahas MÉDICO DE DESPERTO

ESPECIALISTA MINHA VIDA

Quando temos uma importante tarefa intelectual a cumprir, um concurso, vestibular, teses a serem defendidas, que demandam tempo de pesquisa e estudo além do habitual, outras actividades serão sacrificadas e a primeira delas geralmente são os exercícios semanais. 
Tempo e a energia serão dedicados à nova tarefa e horas sentadas se somarão a tantas outras já dedicadas ao trabalho, condução, convívio familiar. O produto final, o aumento do sedentarismo, é o que transformará a ladeira a ser subida, da nova tarefa, em escalada de paredão da Pedra da Gávea. 
A actividade física regular semanal traz ao organismo uma dose de energia a mais para vencer todas as tarefas. Não só as tarefas que dependem da actividade muscular voluntária, mas também as cognitivas são melhor executadas por aqueles que mantém um treino regular.
No início, parar com os exercícios pode parecer uma boa solução, mesmo porque a perda do condicionamento se fará lenta e gradualmente, quase imperceptível. O mesmo ritmo para as actividades será mantido, sem que você se dê conta de que a perda de rendimento físico e intelectual já começou.
Sua percepção de mudança de disposição no quotidiano estará encoberta pelo aumento de horas de trabalho no dia a dia. O primeiro sinal de que tudo será diferente: transtornos no sono, passará despercebido e será atribuído ao novo projecto e a preocupação por ele gerada. 
Notando que o cansaço já é desproporcional, você irá se culpar por não conseguir se concentrar, irá gradativamente se privando de outras actividades para vencer a nova atribuição. É a ladeira transformando-se em escalada. 
Atribuir o aumento de sensação de cansaço e noites mal dormidas à maior carga de trabalho é mais fácil. Verdade, mas sua capacidade de enfrentá-la também já está diminuindo pois você vem perdendo capacidade de produção e seu cérebro é o primeiro a dar o alerta para a transformação. 
Sem considerar o sinal amarelo que se acendeu, você mergulha na disciplina rígida daqueles que tem prazo a cumprir. Aí é o momento de perceber que sua concentração já não é mais a mesma. Naquele tempo sentado em frente ao computador, começam a aparecer lacunas inúteis de falta de inspiração, por vezes trocadas por chocolate e outros quitutes. Você trocou a satisfação do exercício pela da comida e ganhará quilinhos a mais com isso. 
Por fim, as noites de sono são trocadas por dias sonolentos e preguiçosos. Você perde a hora, dorme durante qualquer folga do dia e no entanto, ao se deitar, tem o tecto como companheiro para uma longa, improdutivo e insone vigília. Dia seguinte, tudo se repete e o cansaço se torna cada vez mais presente e a capacidade física e intelectual cada vez mais ausente. Chegou na hora da famosa frase: "Preciso tirar férias para dormir o dia inteiro". 
Olhando ao redor, você certamente encontrará alguém sorridente, activo e alegre, prestativo com as demais pessoas, sempre disposto a ajudar, rápido nas respostas, rápido nas decisões, incansável, que conta ter aproveitado o fim de semana no futebol com os filhos e amigos, e que, note bem, tem a mesma carga de trabalho que você, e a mesma carga extra exigida por uma faculdade ou pós graduação. A ladeira do vizinho parece ser muito mais suave. 
É a hora que você descobre que aquela ginástica que fazia, com trabalho aeróbico, três vezes por semana, exercícios de musculação e aulas de alongamento, faz a diferença entre vocês dois. 
Jamais abandone seu exercício. Correr, andar, pedalar, nadar e outras combinações de trabalho aeróbico não podem ser suspensas, por maior que seja a tarefa intelectual a ser cumprida e o tempo que ela exija. São a fonte da endorfina e da disposição que ela traz para o quotidiano, do bom sono, reparador e que descansa. A actividade física regular é a melhor maneira de combater a fadiga física e intelectual. 
Músculos rígidos, resistentes, articulações flexíveis, tornam a ingrata tarefa de permanecer horas sentado mais agradável e indolor. Vão também auxiliar o cérebro na tarefa de nos manter equilibrados e coordenados, transformando os movimentos do dia a dia em simples e automatizados, poupando a energia que será utilizada no cumprimento de outras tarefa, mesmo intelectuais. 
Se você também está habituado à pratica de desportos, não a dispense. Ela mantém o aspecto competitivo da personalidade, ajuda na integração social e na função cerebral, intelectual de raciocínio, independente do desporto que for. 
Assim, transforme sua ladeira em uma subidinha, não em escalada, mantendo-se activo fisicamente sempre.

Fote: Minha Vida

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.