Publicidade

5 Coisas surpreendentes que a falta de sexo causa no seu corpo.


O sexo é um acto praticado por diversas espécies, incluindo a humana, acto esse que muitos já sabem que além de prazer e sensação de bem-estar, também traz diversos benéficos a Saúde física e mental. O que acontece, é que muitas pessoas não ligam, não querem e não fazem sexo, isso por questões religiosas, excesso de trabalho, viagem ou outro motivo qualquer.

Veja também: 

Porém, o que essas pessoas e muitas outras talvez não saibam, é que a falta de sexo traz diversos efeitos colaterais e negativos para o organismo. Confira algumas dessas consequências negativas provocadas pela ausência da relação íntima:

1 - Agressividade
Uma das possíveis consequências da abstinência sexual é a agressividade comportamental que pode ser caracterizada por comportamentos como roer as unhas, comer o tempo todo, morder os lábios ou arrancar cabelos, é o que diz o ginecologista e sexólogo José Carlos Riechelman.

2 - Disfunção eréctil
Uma análise feita durante 5 anos com mais de 900 homens com idades entre 50 e 70 anos concluiu que o sexo feito regularmente consegui reduzir os riscos de disfunção eréctil, mesmo em pessoas com idades mais avançadas, ou seja, a falta de sexo pode contribuir com a ocorrência da disfunção eréctil. A pesquisa foi publicada no American Journal of Medicine.

3 - Aumentar o estresse
De acordo com um estudo publicado na Biological Psychology, a falta de sexo pode aumentar os níveis de estresse do corpo humano, o que consequentemente provoca picos de pressão alta.


Publicidade


4 - Baixa imunidade
O sexo aumenta significativamente a imunidade do corpo humano e traz consequência positivas em relação a doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais e síndromes metabólicas como a própria diabetes tipo 2, logo se presume que a falta da relação sexual traz efeitos exactamente contrários, diz a sexóloga clínica e Co-Directora do Instituto de Sexologia de Barcelona, Francisca Molero.

5 - Inteligência reduzida

Já um estudo realizado no ano de 2013, publicado no jornal El País, concluiu que o sexo desenvolve um papel de incentivo à neurogénese (a criação de novos neurónios) e à função cognitiva, visto que o sexo pode impulsionar o crescimento das células no hipocampo, a região cerebral da memória.


Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.