Publicidade

Entenda o Perigo da HPV, uma doença sexualmente transmissível e previna-se


Acreditamos que você já ouviu falar a respeito do HPV ou pode inclusive estar lidado com o problema. Mas você sabe realmente o que é? Sabe como evitar ou tratar essa Doença Sexualmente Transmissível?

O Papilomavírus Humanos (HPV) é o nome aplicado a um agrupamento de vírus que infectam e atuam na pele. Existem mais de uma centena de tipos de HPV e sua manifestação mais comum são verrugas genitais com aspecto parecido ao de uma pequena couve-flor na pele e nas mucosas, mais frequentes nos homens, ou mutações celulares no colo do útero. No caso das mulheres, especialmente, quando não tratado, o HPV pode causar câncer nesse local.

Apesar deste quadro assustador, o HPV é mais comum do que você pensa. Nos Estados Unidos, por exemplo, calcula-se que haja em torno de 14 milhões de novos casos de pessoas infectadas por ano, sendo que 75% dos adultos com vida sexual activa contrairão HPV em algum momento de suas vidas. Além disso, consta que 90% dos tipos de HPV são basicamente inofensivos e naturalmente eliminados pelo sistema imunológico.

Como na maior parte dos casos de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), nos homens é mais fácil visualizar a doença e tratá-la do que para as mulheres, que demandam exames que vão muitas vezes além da simples observação.

Transmissão
O HPV é transmitido de várias maneiras:
Pele a pele: O contacto com outra pessoa infectada pode ocasionar a doença. Basta que uma área ferida seja friccionada na área infectada do outro, ou seja, o contágio pode ocorrer no sexo convencional, anal ou oral;
Da mãe para o filho: bebés que nascem de parto normal podem contrair a doença ao entrar em contacto com a área infectada da mãe.
Roupa íntima ou toalhas: esse caso é menos comum e ainda é avaliado pela comunidade médica. A transmissão nesse caso só aconteceria caso a pessoa vestisse a roupa íntima (ou usava a toalha) da outra que está contaminada logo depois que ela tenha tirado.

Previna-se
A protecção contra o vírus HPV pode se dar pelo uso de preservativos. Contudo, mesmo usando a camisinha você pode contrair o HPV pelo contacto com a base ou a pele ao redor do pénis.
Outro cuidado necessário é evitar preservativos ou lubrificantes que possuam químicas fora do padrão (modelos “hot”, por exemplo), pois têm a tendência a causar irritação na pele, e isso torna mais fácil a transmissão. A vacina contra o HPV é bastante eficaz e evita a maior parte dos tipos de vírus, porém, no caso dos adultos, ela só é feita na rede particular de saúde.

Há Cura?
Em alguns casos o vírus pode ser eliminado espontaneamente pela acção do sistema imunológico, sem que a pessoa sequer saiba que estava infectada. Porém, caso o diagnóstico seja positivo, deve-se tratá-lo com medicamentos (pomadas e via cauterização) ou tratamento cirúrgico (cauterização química, eletrocauterização, crioterapia, laser ou cirurgia convencional em casos de câncer instalado).

O tratamento pode durar alguns anos, para garantir a completa eliminação do vírus do organismo. Caso contrário, ele ficará somente inactiva e pode reaparecer caso haja uma nova baixa do sistema imune. Isso pode ocorrer em até 5 anos após a infecção.

Para saber se você tem o HPV, basta ir ao seu médico urologista, conversar e fazer exames de rotina. O exame clínico é muito importante, pois muitas vezes o vírus se mascara, como protuberâncias na linha da cueca, como se fossem pelos encravados, por exemplo, o que é bastante comum.
Se você está em tratamento, evite fumar (o fumo atrapalha a acção do sistema imunológico), alimente-se e durma bem, pratique exercícios e consuma vitamina B.

Agora que você está mais informado sobre o perigo dessa DST, previna-se! 

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.