Publicidade

Vídeo impressionante mostra a extração de cravo. Mas será que é cravo mesmo? É possível crescer tanto? Veja!


Há quem sinta prazer e até sensação de limpeza ao assistir cravos serem espremidos. Chamada de “popping”, essa moda é composta por vídeos virais e o mais recente é impressionante. Veja:

VÍDEO DE CRAVO NA ORELHA EXPLICADO


O vídeo de um spa de Taiwan mostra a extração de um cravo gigante dentro da orelha. As imagens foram tão compartilhadas que alcançaram mais de dois milhões de visualizações.

É cravo mesmo? Como é possível ficar assim?
De acordo com a dermatologista Valéria Stagi, do Hospital Oeste D’Or, os cravos do vídeo são antigos e provavelmente não foram cuidados, o que fez com que chegassem ao tamanho absurdo e ficassem endurecidos.

Um cravo, várias cavidades
O que também causa espanto é a quantidade de massa que sai de três cavidades, sendo que duas parecem estar conectadas, já que a extração do ácaro de uma reflete na outra. "É um único comedão com dois orifícios", ressalta a médica.




Tem risco?
Apesar de bastante asqueroso e de ser completamente inimaginável para muitos ficar com algo assim no corpo, não existe qualquer risco para a saúde, o problema é apenas visual.

"Independente do tamanho, o problema do cravo é estético. Já a extração incorreta causa riscos que colocam a saúde em cheque", alerta a especialista.

Como tirar um cravo assim?
Antes de remover um cravo desse tamanho, são necessários alguns cuidados. No vídeo, por exemplo, apesar de o procedimento realmente retirar o cravo, o uso de luvas é um cuidado básico de higiene que está ausente, o que confere riscos à saúde.

Além disso, como o processo deixa um buraquinho na pele, são necessários cuidados posteriores para evitar infecções, cicatrizes ou até mesmo o ressurgimento do cravo, como o uso de medicamentos com ácidos.


Pode espremer em casa?
A dermatologista Valéria Stagi contraindica remover cravos e espinhas em casa pois a falta de aparelhos, métodos e substâncias corretas aumenta o risco de infecções que podem se agravar e gerar trombose venosa e meningite. 



Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.