Publicidade

Você sabia que a sua calcinha pode ter mais de 10 mil fungos e bactérias, e que a maioria causam doenças?

Um estudo feito pela Faculdade Devry Metrocamp, em Campinas (SP), descobriu que mesmo após lavadas, calcinhas podem abrigar mais de 10 mil fungos e bactérias que causam doenças. A pesquisa ainda analisou em laboratório outras peças íntimas, como cuecas e sutiãs, e verificou a presença bactérias até mesmo nas recém-compradas, que nunca haviam sido usadas.


Calcinha pode ter bactérias mesmo depois de lavada?

De acordo com o estudo, que verificou em laboratório as condições de 52 peças, entre as roupas íntimas recém-compradas, 85% apresentaram crescimento de bactérias após a lavagem. Das calcinhas já usadas, mas higienizadas, 92% delas estavam contaminadas com até 10 mil micro-organismos.

Segundo os pesquisadores, a maioria dos micro-organismos encontrados nas peças intimas são oportunistas, ou seja, podem provocar apenas coceira ou corrimento entre pessoas saudáveis. Mas quem está com imunidade baixa pode sofrer maior impacto na saúde ao entrar em contato com os agentes infecciosos.

Em peças íntimas femininas foram encontrados em grande quantidade a Cândida albicans, fungo responsável pela candidíase, e o Staphylococcus aureus, bactéria relacionada a quadros de infecções urinárias, furúnculos e abscessos na região.

A presença da bactéria E. Coli, que normalmente fica na região próxima ao ânus, também foi verificada em calcinhas e até mesmo sutiãs. O micro-organismo pode provocar irritação, micoses e manchas.

Como lavar calcinha corretamente

De acordo com o estudo feito em Campinas, a falta de higienização correta das peças foi a grande vilã da história. Confira o passo a passo para lavar a calcinha da maneira certa e evitar o contato com fungos e bactérias:
  1. Não lave a calcinha com água fria. O recomendável é fazer a higienização com água quente, mas abaixo de 40° C , para eliminar bactérias.
  2. A máquina de lavar pode contaminar sua calcinha por misturar diversas peças que podem conter bactérias. O ideal é que a lavagem seja feita à mão.
  3. Sabão neutro ou sabão de coco são os indicados para lavar a calcinha. Sabão em pó tradicional, amaciantes ou mesmo alvejantes não devem entrar em contato com a peça.
  4. Não há mal algum em lavar a calcinha no chuveiro, mas pendurar a peça para secar no box é um erro comum que pode afetar a saúde da vagina. A proliferação de bactérias e fungos pode ocorrer mais facilmente porque o banheiro é ambiente geralmente quente e úmido.
  5. A melhor forma de secar a calcinha é deixando a peça em um ambiente arejado, na sombra de preferência.





Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.