Publicidade

Ter pesadelo é muito mais que sonho ruim, ele pode indicar algo sério sobre a sua saúde.


Apesar de muito mais comum na infância, episódios de pesadelo durante o sono podem ocorrer em qualquer idade e, normalmente, não são considerados fonte de grande preocupação. A não ser, claro, que os sonhos ruins sejam muito frequentes e cheguem até mesmo a afetar o dia-a-dia do indivíduo.

O que pouca gente sabe é que o pesadelo em si, quando em demasia, pode ser considerado uma doença, ou melhor, uma condição chamada de transtorno do pesadelo.

É quando os sonhos ruins acontecem com frequência, causam angústia, atrapalham o sono e provocam diversos outros problemas relacionados ao funcionamento diurno de uma pessoa.

Quando pesadelo vira "transtorno do pesadelo'?

De acordo com informações do site médico da Mayo Clinic, o pesadelo pode indicar um quadro chamado transtorno do pesadelo quando o sonho ruim parece vívido e real demais, é muito perturbador e geralmente está relacionado a ameaças à segurança ou à sobrevivência.


Pode ser comum ainda despertar do pesadelo assustado, ansioso, irritado ou triste, com aceleração dos batimentos cardíacos e suor excessivo. O sonho ruim ainda costuma causar angústia e impedir que você durma novamente.

Ele é causado por estresse, ansiedade, abuso de álcool e até alguns remédios antidepressivos e medicamentos para regular a pressão arterial. Como consequência, pode haver sonolência diurna, medo de ir dormir e até graves alterações de humor e tendência a suicídio.

É necessário ressaltar, no entanto, que os sintomas apenas indicam um problema mais sério quando ocorrem com muita frequência, ou seja, várias noites por semana.

Pessoas que sofrem de transtorno do pesadelo podem experimentar grande angústia ou prejuízo durante o dia, como ansiedade ou medo persistente, problemas para manter a concentração, sonolência, fadiga ou falta de energia. A condição ainda pode afetar a vida profissional e escolar do indivíduo.



Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.