Publicidade

Trocar o frango grelhado na dieta por esta opção pode emagrecer ainda mais


Considerada uma proteína magra de alto valor biológico, o frango é um dos alimentos mais presentes no cardápio de quem está de dieta. E se você pretende turbinar ainda mais o emagrecimento, saiba que pode apostar em uma opção ainda mais leve, sem perda de sabor: a “carne” de jaca.

A “carne” de jaca nada mais é do que a transformação da fruta, rica em nutrientes e benefícios, em uma alternativa ao frango, utilizando temperos e adotando modo de preparação que deixa o alimento muito parecido com um frango desfiado. E o melhor: a “carne” de jaca pode ser feita em casa e ser incluída em variadas preparações.

Aprenda a fazer “carne” de jaca em casa

Para fazer a “carne vegetal” é preciso usar a variedade mais dura da jaca, quase madura, que possui bagos endurecidos. Após a higienização completa da fruta, corte-a em pedaços grandes com a casca e tudo e coloque na panela de pressão. A água deve cobrir todos os pedaços.

Leve ao fogo alto por cerca de meia hora para que os bagos fiquem macios e, após cozida, despreze a casca, as sementes e a parte central. Desfie a fruta e tempere como se fosse um frango, já que seu sabor neutro adere bem a ervas e especiarias. Refogue o alimento em azeite ou molho de soja e pronto.

Jaca ajuda a emagrecer e protege contra doenças


Por ser rica em fibras, a jaca contribui para a dieta por garantir saciedade, afastando a fome exagerada, e melhorar o funcionamento do intestino. Além disso, a fruta é de fácil digestão, possui açúcares simples que atuam como energéticos naturais, possui pouca gordura e é composta 80% por água.

Excelente fonte de vitaminas e minerais, a jaca tem propriedades antioxidantes, que barram o envelhecimento precoce e combatem doenças. O alimento contém altas taxas de vitamina C, que fortalece o sistema imunológico e aumenta a resistência do organismo contra infecções, e seus antioxidantes promovem melhor controle do açúcar no sangue e previnem contra o desenvolvimento de doenças cardíacas e diabetes.



Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.