Conheça 5 principais causas da infecção urinária

A infecção urinária normalmente é causada pelo desenvolvimento da bactéria E. coli no trato urinário.

Este tipo de bactéria existe naturalmente no intestino de todas as pessoas, no entanto, alguns fatores simples como fazer a higiene íntima incorretamente ou não beber água durante o dia, por exemplo, facilitam que essa bactéria chegue no trato urinário, causando a infecção.

Muitas vezes esta infecção passa despercebida e o corpo consegue combatê-la naturalmente, mas quando surgem sintomas de dor ou ardor ao urinar, por exemplo, é necessário procurar o médico e iniciar o tratamento adequado.

As principais causas do desenvolvimento da infecção urinária incluem:


1. Segurar o xixi por muito tempo

Além de permitir eliminar o excesso de líquidos e toxinas do corpo, a urina ajuda a limpar as paredes da uretra, eliminando bactérias que podem estar subindo até a bexiga. Por isso, segurar o xixi impede que esse processo de limpeza natural aconteça, facilitando o desenvolvimento de bactérias.

Além disso, quando se acumula muita urina, a bexiga fica mais dilatada e não consegue contrair completamente quando finalmente se utiliza o banheiro. Quando isso acontece, um pouco de urina pode ficar ainda dentro da bexiga, aumentando o risco de crescimento de bactérias e infecção.

2. Fazer a higiene íntima incorretamente

Um dos locais que possui mais bactérias capazes de causar uma infecção urinária é o intestino, por isso, para limpar a região íntima deve-se sempre passar o papel higiênico da frente para trás, evitando trazer bactérias que estejam na região do bumbum, especialmente após utilizar o banheiro.

Embora esta seja uma das maiores causas da infecção urinária nas mulheres, também pode acontecer no homem, especialmente durante o banho, quando se lava primeiro a região dos glúteos antes do pênis, por exemplo.

3. Beber pouca água durante o dia

Da mesma forma que segurar o xixi por muito tempo pode facilitar o desenvolvimento de bactérias na uretra e bexiga, beber pouca água, durante o dia, também pode ter o mesmo efeito. Isso acontece porque o corpo deixa de produzir urina suficiente para se utilizar o banheiro várias vezes durante o dia, permitindo que bactérias, que seriam eliminadas pela urina, continuem subindo até à bexiga.

Assim, é aconselhado que se beba, pelo menos, cerca de 2 litros de água por dia para manter o sistema urinário saudável.

4. Utilizar absorventes por muito tempo


Os absorventes internos, assim como os protetores de calcinha, são uma ótima forma de manter a higiene durante o período menstrual. No entanto, quando ficam sujos facilitam o desenvolvimento de bactérias que podem chegar até ao sistema urinário, provocando a infecção urinária.

Para evitar este problema, deve-se substituir o absorvente ou o protetor frequentemente, preferencialmente a cada 4 horas ou quando já estão sujos, fazendo-se lavagem da região antes de trocar.

5. Ter pedras nos rins

Pessoas com pedras nos rins, normalmente, apresentam crises de infecção urinária frequentes, pois a presença das pedras pode fazer com que as vias urinárias fiquem mais entupidas e, por isso, a urina não pode ser completamente eliminada. Quando isso acontece, as bactérias que podem estar crescendo na urina, dentro da bexiga, têm mais tempo para se desenvolver e causar uma infecção.

Nestes casos, o passo mais importante é tentar evitar o surgimento de novas pedras e tentar eliminar as que já existem.

A Infecção urinária é contagiosa?

Não! A infecção urinária não é contagiosa e por isso não tem como uma pessoa passar para outra, nem mesmo durante o contato íntimo. No entanto, a relação sexual pode propiciar o seu desenvolvimento devido ao contato com o látex da camisinha, espermicidas ou brinquedos sexuais que podem alterar a flora vaginal, fazendo com que as bactérias que causam a infecção urinária possam se multiplicar, dando origem à doença.

O que pode causar infecção urinária frequente

Certas mulheres têm uma pré-disposição para ter episódios frequentes de infecção urinária. Ainda que tomem todos os cuidados, evitando ficar mais de 3 horas sem ingerir líquidos, limpando-se corretamente e mantendo a região genital sempre limpa e seca, podem ter mais de 6 infecções urinárias no mesmo ano.

A principal explicação para este fato é a questão anatômica, porque quanto mais próxima for sua uretra do ânus, maiores são as chances das bactérias da região peri anal chegarem à uretra e causarem infecção nas vias urinárias. Para estas mulheres tomar a vacina Uro Vaxom pode ser uma excelente estratégia para evitar a recorrência da infecção urinária. Essa vacina fortalece o sistema imune e faz com que o próprio corpo seja mais eficiente no combate às bactérias que chegam na uretra.

Adotar uma alimentação pobre em carboidratos também é uma excelente estratégia para evitar o crescimento de bactérias nocivas no trato urinário, prevenindo assim a recorrência da infecção urinária.

Quem tem maior risco de infecção

Além das principais causas, existem ainda alguns fatores que aumentam o risco de ter umas infecções urinárias, que incluem:
  • Problemas na bexiga que impedem o seu esvaziamento adequado;
  • Utilização de cateter para urinar;
  • Infecção na corrente sanguínea;
  • Sistema imunológico enfraquecido, como durante o tratamento de câncer ou por doenças como AIDS;
  • Tendência genética, que é quando a proximidade entre a uretra e o ânus é muito grande.
Além disso, mulheres têm mais chances de desenvolver infecções urinárias porque a uretra, canal por onde sai a urina, é mais próxima do ânus do que nos homens, o que facilita a transmissão de bactérias de um lugar para o outro.

Além disso, as mulheres também correm maior risco quando estão grávidas ou quando usam diafragma como método contraceptivo, camisinhas com espermicida e durante as relações íntimas em geral, por facilitarem a contaminação a partir de micro-organismos vindos do parceiro.

No casos dos homens, a infecção urinária é mais frequente quando existe problemas de crescimento da próstata, pois ela pressiona a bexiga e impede a completa eliminação da urina.



Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.